sábado, 14 de abril de 2018

Concurso Nacional JRA 2018

https://jra.abae.pt/concursos/2018-concurso-nacional/


O que é
Este concurso, promovido pela ABAE / Fee Portugal, integra-se nas atividades do Programa Jovens Repórteres para o Ambiente e visa promover as melhores reportagens sobre sustentabilidade efetuadas pelos jovens portugueses ao longo do ano.
Objetivos
  • Fomentar nos jovens a curiosidade pela pesquisa de assuntos relacionados com o desenvolvimento sustentável em geral e o ambiente em particular nas suas regiões ou em áreas mais vastas;
  • Enfatizar a vertente jornalística do Projeto Jovens Repórteres para o Ambiente (JRA) e a produção de trabalhos de reportagem de qualidade em vários formatos: artigo, fotografia e vídeo.
  • Divulgar os trabalhos dos Jovens Repórteres portugueses a nível nacional e internacional.
  • Premiar as melhores reportagens realizadas pelos Jovens Repórteres.
Como participar?
Ao Concurso Nacional Melhores Reportagens 2018 podem concorrer jovens dos 11 aos 21 anos, integrados num grupo escolar, ou como freelancers.
A escola ou o jovem repórter freelancer devem estar inscritos na plataforma dos Jovens Repórteres para o Ambiente. A inscrição pode ser realizada em qualquer momento do ano letivo. 
As reportagens têm de estar publicadas em jra.abae.pt/plataforma.
Caso tenham publicado diversas reportagens ao longo do ano, devem selecionar no máximo 2 por modalidade, para enviar a concurso.
Para participar no concurso deve ser preenchido um formulário online que irá ser divulgado com os seguintes dados:
  • o(s) link(s) do(s) trabalho(s);
  • nome, idade dos autores;
  • escola (se for o caso)
  • a forma como foi divulgada a reportagem localmente (jornal, internet, etc) e na internet (blog, jornal online, 
Definição dos trabalhos a concurso
Devem ser apresentados trabalhos inéditos de reportagem , que trabalhem a temática do desenvolvimento sustentável. Os autores devem esforçar-se por divulgar as reportagens por todos os meios ao seu alcance (internet, jornal da escola, jornal de parede, conferências, etc.). A forma como foi divulgada a reportagem deve constar na memória descritiva.
Cada escola poderá apresentar a concurso até 2 reportagens em cada modalidade.
Modalidade A | Artigo
Os trabalhos poderão versar os diferentes géneros jornalísticos: notícia, reportagem, entrevista ou artigo de fundo. O texto deve ser ilustrado com pelo menos uma imagem (fotografia, gráfico, infografia), acompanhada de legenda (máx. 20 palavras). O título não deve ter mais 10 palavras e deve possuir um Lead de até 50 palavras onde deverá constar um pequeno resumo da reportagem. O texto escrito, excluindo as ilustrações, não deve exceder as 1000 palavras.
Modalidade B | Fotografia
B1-FotografiaFotografia única acompanhada de legenda esclarecedora e de cariz científico de até 20 palavras.
B2-FotorreportagemDeverá ser composta por um conjunto de no máximo 6 fotos originais, devendo ser legendadas (máx. 20 palavras por legenda).
A fotografia ou série deverá ser apresentada em formato de imagem (.jpeg, .bmp, .png, .tif, ou .gif), com boa definição, de pelo menos 300dpi . Estas devem ser acompanhadas por memória descritiva de até 150 palavras, explicativa de como se realizou o trabalho. Devem possuir igualmente um Lead de até 50 palavras onde constará um pequeno resumo da reportagem.
B3- Foto campanha
Realização de uma campanha cujo objetivo é o de transmitir uma mensagem objetiva, dentro da temática de desenvolvimento sustentável, recorrendo a uma fotografia experimental/criativa que pode, ou não, ser previamente preparada/composta.
Modalidade C | Vídeo
C1- Videorreportagem
As reportagens apresentadas nesta modalidade deverão ter no máximo 3 minutos e poderá ser no formato documentário ou entrevista. Deverá ser publicado no YouTube, Vimeo ou outra rede de social media e incorporado na plataforma JRA. Deverá possuir título de no máximo 10 palavras e Lead de até 50 palavras onde constará um pequeno resumo da reportagem. Deve ser acompanhado de memória descritiva de no máximo 150 palavras, explicativa de como se realizou o trabalho.
C2-VideocampanhaRealização de uma campanha cujo objetivo é o de transmitir uma mensagem objetiva, dentro da temática de desenvolvimento sustentável, recorrendo a um vídeo “tipo anúncio publicitário” no máximo com 30 segundos.
Quem pode concorrer
Podem concorrer ao “Concurso Nacional Melhores JRA 2018” trabalhos de jovens entre os 11 e os 21 anos
Não está prevista a atribuição de prémios por escalão podendo no entanto o júri vir a distinguir alguns dos trabalhos dos participantes mais jovens com uma menção especial.
Este ano pela primeira vez existirá um escalão especial para jovens com idades superiores a 21 anos – Prémio JRA Alumni. Para este prémio podem concorrer trabalhos de qualquer modalidade.


quinta-feira, 12 de abril de 2018

terça-feira, 10 de abril de 2018

Campanha escola+limpa


Todos os alunos do 5º ao 9º ano que iniciaram as Campanha “ESCOLA + LIMPA”.  as turmas pela limpeza e reciclagem de um espaço escola, por exemplo, bar do aluno, pátio  ou entrada principal da escola, interior e exterior. A escolha do lugar fica a cargo dos respetivos diretores de turma, será limpo o espaço que precisar mais. No final desta atividade, ou na aula seguinte, os alunos farão uma reflexão e responderão em grupo a uma das três perguntas que serão colocadas previamente no espaço destinado a cada turma, no gabinete dos diretores de turma. As respostas são afixadas pelos alunos, num expositor colocado para esse efeito na entrada da escola. Todas as semanas repetiremos este procedimento com as turmas de A a K.












segunda-feira, 9 de abril de 2018

terça-feira, 3 de abril de 2018

Scientists Girls on-Drones: Germinando o futuro


Neste projeto em que se explora a tecnologia dos Drones, com a utilização de uma linguagem de programação Tynker. Os trabalhos iniciaram-se com uma introdução ao ambiente de programação, com o objetivo dos alunos se apropriarem dessa linguagem; com interesse e motivação, os alunos poderão avançar na linguagem de programação e experimentar os seus resultados a partir da experimentação. Os drones podem ajudar à reflorestação das áreas ardidas e contribuir para a conservação da natureza, em particular a diminuição dos impactos negativos causado pelos incêndios florestais, na conservação do solo, da água, da fauna e da flora e o aumento da área florestal autóctona.









quarta-feira, 28 de março de 2018

Mensagens antigas Página inicial

Teste Teste Teste

Teste Teste Teste Teste

Teste Teste Teste Teste

Copyright © Blogue Eco Escola do A. E. André Soares | Traduzido Por: Mais Template

Design by Anders Noren | Blogger Theme by NewBloggerThemes